Criopreservação – Congelamento de óvulos

Criopreservação – Congelamento de óvulos

Uma alternativa para o adiamento da gravidez

A técnica utilizada para preservar os óvulos é chamada de vitrificação. Bastante segura, permite que os mesmos permaneçam preservados por tempo indeterminado. Inicialmente, o congelamento de óvulos era uma alternativa para mulheres diagnosticadas com câncer, com o intuito de manter a qualidade de vida, o desejo e a possibilidade de ter filhos, já que alguns tratamentos de quimioterapia e radioterapia, que destroem as células tumorais, também podem destruir as células germinativas, causando um envelhecimento no ovário em torno de 10 anos, resultando em falência ovariana.

 

Hoje, cada vez mais as mulheres estão adiando a maternidade. Segundo o IBGE, nos últimos anos houve um aumento de 27% no número de gestantes com mais de 40 anos.  Isso se deve a diversos fatores, como encontrar um parceiro ideal ou ter uma vida profissional bem estabelecida. A criopreservação de óvulos, desta forma, se torna uma alternativa para viabilizar uma gravidez no futuro.

 

O período ideal para criopreservar os óvulos é antes dos 35 anos, quando as chances de gravidez variam entre 50 a 60% por ciclo. Após esse faixa etária começam a ocorrer perda da qualidade e redução da quantidade dos oócitos, o que implica diretamente na redução das chances de gestação e aumento dos índices de doenças genéticas.  Porém, vale lembrar que esse procedimento pode ser realizado em qualquer idade, conforme o desejo da paciente.

 

Dra. Andréia Moro

CRM 33853

 

Confira outros detalhes sobre criopreservação no site da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, clicando no link a seguir:

No Comments

Comments are closed.